Fazer o gol

  • 10 de março de 2020

Foto: Tales Leal | AI ECP

Durante os 45 minutos iniciais de Pelotas x Grêmio, no último domingo (8), o Lobo teve ao menos cinco boas chances de balançar as redes. E não conseguiu. A trave, o goleiro e detalhes de pontaria fizeram com que a equipe e o torcedor saíssem da Boca com um gosto amargo. Afinal de contas, somar pontos passa diretamente pela bola dentro da meta adversária.

Essa questão foi uma das abordadas pelo volante Michel Schmöller na entrevista coletiva concedida nesta manhã de terça-feira (10). Titular na rodada passada do Gauchão 2020, ele estreou com a camisa azul e ouro. Entre as demais pautas, a importância de bater o Esportivo no domingo (15), às 16h, na Montanha dos Vinhedos, em Bento Gonçalves.

”A semana é muito importante para o grupo. Viemos de um bom jogo diante do Grêmio, apesar do resultado. É possível tirar pontos positivos, sabendo que faltam 20 dias para terminar a competição e restam quatro finais. Fizemos um ótimo primeiro tempo, criando chances de gol. É fundamental transformar as oportunidades a nosso favor no placar contra o Esportivo”, disse Michel.

Recém-chegado, o meio-campista vestiu o número 8 e teve atuação de bastante entrega. A respeito do tema, ele comentou: ”Agradeço a oportunidade e a confiança da comissão técnica. Cheguei de um campeonato mais fraco (potiguar, do RN) e agora estou em um dos mais fortes do país. O objetivo é conquistar os pontos para a permanência e, dependendo da situação, buscar coisas maiores”.

Com forte espírito de liderança, Schmöller já trouxe um discurso de incentivo para o vestiário: ”Todos precisam buscar a melhora individual e coletiva. A gente sabe que o adversário jogará em casa, mas a nossa preocupação tem a ver com desempenho, cumprindo as orientações do Winck. O Pelotas tem totais condições de trazer os três pontos de lá (Bento Gonçalves)”.

Michel, sobretudo, mostrou estar ciente do peso da camisa áureo-cerúlea: ”Não precisamos de motivação, porque atuamos em uma grande equipe, das maiores do interior. A visibilidade é muito grande, e acredito que existe a necessidade de correção de detalhes, porque o futebol é isso: treinamento e evolução”.

O grupo do Pelotas trabalha diariamente até sábado, quando pega a estrada rumo a Serra para a decisão do dia seguinte. Depois, a tabela ainda reserva nada menos do que um clássico Bra-Pel, na Boca, uma visita ao estádio Centenário para medir forças com o Caxias e um duelo diante do São José, em casa.

Texto: Gustavo Pereira | AI ECP

Compartilhe