Imposição

  • 6 de fevereiro de 2020

Foto: Tales Leal | AI ECP

Os dias de preparação têm sido proveitosos para o elenco áureo-cerúleo. Depois de aliviar a pressão com a vitória diante do Juventude, a equipe dirigida por Luiz Carlos Winck trabalha pensando no São Luiz, adversário de domingo (9), às 19h, no estádio 19 de Outubro, em Ijuí.

Nesta quinta-feira (6), a tarde foi de atividade realizada na Arena Marini. Antes, porém, o volante Mateus Santana conversou com os repórteres na sala de imprensa da Boca do Lobo. As pautas principais? Estilo de jogo e necessidade de imposição na casa rival para fechar o primeiro turno do Gauchão 2020 em alta.

”A vitória contra o Juventude nos tirou um grande peso das costas. Há pouco tempo passamos por uma situação parecida com a atual do São Luiz, envolvendo troca de comando. O que podemos tirar de lição é que não devemos entrar leves no jogo, até porque o time deles é forte e vai chegar motivado”, comentou o autor do fundamental gol aos 42 minutos da etapa final na rodada passada.

Titular incontestável do meio-campo, Mateus ainda falou a respeito da configuração do setor e do próprio papel: ”Minha característica é de saída com passes curtos desde trás, construindo a jogada. Independentemente da função, é preciso se adequar ao que o treinador pede. Trabalhei em outros clubes com o Winck e gosto do estilo dele, conversamos sobre a necessidade de pisar na área, aparecer como elemento surpresa”.

Com relação à partida em Ijuí, Mateus foi perguntado sobre o momento do São Luiz, que ainda não venceu no Gauchão. ”É importante se impor, ditar o ritmo do jogo e tirar os espaços deles. Para nós seria essencial vencer, porque conseguiríamos abrir uma vantagem na tabela geral em relação aos times de trás”, disse.

O grupo azul e ouro trabalha em Pelotas e viaja no sábado pela manhã. Após entrar em campo, o Lobão só volta a atuar no dia 1º de março, abrindo o segundo turno do torneio diante do Aimoré, no Cristo Rei em São Leopoldo.

Foto: Gustavo Pereira | AI ECP

Compartilhe